5G no Brasil: o que pode mudar com essa tecnologia?

5G no Brasil: o que pode mudar com essa tecnologia?

 

Não faz muito tempo que a conexão com a web em nosso país era acessada apenas por meio de provedores de internet discada, muito barulhentos e pouco eficientes. Conectar com a internet no celular? Nem pensar.

 

Só que os tempos mudaram e, hoje, a tecnologia 5G no Brasil é uma realidade cada vez mais próxima e que promete ser capaz de transformar esse abundante cenário que envolve provedores, velocidades e conexões.

 

Acompanhe nossa leitura para entender melhor sobre esse panorama e, primeiro, sobre essa tecnologia.

 

O que é a tecnologia 5G?

 

Em resumo, a tecnologia 5G é a nova geração de internet móvel, sendo considerada a sucessora da atual conexão, 4G.

 

A sigla vem justamente da expressão 5th generation (quinta geração) e em um mundo onde tudo é “smart”, desde as geladeiras até as lâmpadas de uma casa, aumenta a necessidade de estar integralmente conectado não somente às pessoas, mas também aos objetos.

 

Com isso, a primeira grande revolução que marca o 5G, sem dúvida, é a promessa de trazer mais velocidade para o download e envio de arquivos, diminuindo consideravelmente o tempo de resposta entre diferentes dispositivos e criando conexões mais estáveis.

 

Ainda que seja maravilhosa a ideia de ter um celular com tecnologia 5G que permita uma qualidade de conexão maior até do que a dos provedores de internet fixa que já conhecemos, é preciso ter cautela. Esse tipo de tecnologia não chega de maneira onipresente e leva tempo até alcançar grande parte da população.

 

Qual é o cenário do 5G no Brasil?

 

Como citado anteriormente, a tecnologia 5G é algo que está chegando aos poucos em nosso país. A boa notícia é que os primeiros passos já foram dados: Brasília foi a primeira capital brasileira a receber o sinal de 5G puro, em julho deste ano, e segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o serviço estará disponível em 80% do território do Distrito Federal.

 

No total, mais de 100 estações estão espalhadas pela região da capital e do entorno e receberam as antenas das operadoras de telefonia, segundo dados do Governo Federal.

 

E não para por aí. A distribuição continuou acontecendo de maneira mais rápida do que o esperado: além de Brasília (DF), agora Belo Horizonte (MG), João Pessoa (PB), Porto Alegre (RS) e São Paulo (SP) contam com a faixa em funcionamento, e o prazo para que a rede 5G funcione em todas as principais cidades dos estados brasileiros vai até o dia 29 de setembro, segundo a Anatel.

 

Por que a tecnologia 5G é considerada revolucionária?

 

O anúncio de conexões mais velozes e uma internet mais estável com certeza já é motivo suficiente para fazer todo mundo entender o que é a tecnologia 5G e por que ela é tão aguardada. Entretanto, essa nova geração pode ser um fator importante para transformar a tecnologia como conhecemos hoje.

 

Se nossas expectativas para o futuro são veículos autônomos, cidades inteligentes, fábricas automatizadas, uma maneira totalmente nova de realizar reuniões e comunicações empresariais, é preciso que o país esteja preparado.

 

Segundo um recente estudo da Accenture, 80% das empresas ao redor do mundo apostam no 5G como um impacto significativo em sua organização. E 57% acreditam que será “só” revolucionário.

 

E já é possível ter uma noção dos principais setores e atividades do mercado que serão positivamente impactados com a ascensão da tecnologia 5G:

 

Mercado financeiro

 

Com a adesão da tecnologia no país, o mercado financeiro – mais especificamente o setor de pagamentos – é diretamente beneficiado com a maior adesão à digitalização dos pagamentos. Além de tudo, a cobertura permite melhorar índices de combate à fraude, realizando numa velocidade excepcional consultas em tempo real nas mais múltiplas bases.

 

Bots de serviço

 

Um belo exemplo de como o 5G funciona com robôs e outros tipos de inteligência artificial é o que aconteceu no Mobile World Congress (MWC) de 2021, em Xangai.

 

No evento, empresas com core business em tecnologia robótica lançaram robôs de serviço que incluem a tecnologia 5G com altíssimo nível de processamento de Inteligência Artificial (IA).

 

Por conta disso, os participantes foram capazes de interagir com um robozinho que, de maneira fluida, servia café em alguns estandes.

 

A fabricante do produto diz que esse bot 5G consegue preparar até 1.000 xícaras de café diariamente. Do outro lado da feira, um equipamento chamado 5G HomeBot dialogava com os visitantes e dava dicas de passeios pela exposição, baseadas nas respostas das pessoas.

 

Jogos e comunicação:

 

A grande estimativa para o setor de comunicação é que as chamadas em vídeo sejam completamente modificadas. Se agora conseguimos fazer ligações e enxergar quem está longe, através da telinha, a aposta é que essa tecnologia seja trocada pela realidade aumentada habilitada para 5G (AR) e óculos de realidade virtual (VR). Com a capacidade do 5G de transmitir grandes pacotes de dados em tempo real. Sendo assim, as videochamadas devem se tornar ambientes 360°.

 

E uma vez que as chamadas de vídeo em 5G se transformem em realidade, outro salto gigantesco se torna possível: as chamadas telefônicas holográficas 3D ao vivo.

 

As chamadas holográficas em 3D exigem cerca de quatro vezes mais dados do que um vídeo em 4K. Dentro de pouco tempo, poderemos ver essa tecnologia sendo aplicada em diversas situações, inclusive, como não poderia deixar de ser, nos jogos online.

 

Só que para tudo isso acontecer, além de uma forte cobertura, precisamos que o Brasil esteja com um bom funcionamento da rede 5G.



Como a rede 5G funciona?

 

As tecnologias de rede da quinta geração operam por meio de ondas de rádio, tal qual as suas antecessoras.

 

Mesmo assim, o espectro coberto pelo 5G da banda larga móvel é expressivamente maior que os anteriores, oscilando entre 600 e 700 MHz, 26 e 28 Ghz e 38 e 42 GHz.

 

As antenas da rede 5G são acopladas em outras já existentes, sem necessidade de remoção do material já instalado. Uma vez adaptadas, funcionam em paralelo com a nova infraestrutura de conexões.

 

Isso não exclui a possibilidade de antenas menores com alcance de poucos metros, as de funcionamento doméstico, acessarem a tecnologia.

 

Essas poderão ser instaladas para repetirem o sinal dos dispositivos locais, enquanto as antenas replicadoras, instaladas em postes ou em prédios altos, alcançam distâncias de até 250 metros.

 

E não para por aí: o mecanismo inteligente das antenas 5G torna possível focalizar o sinal de rádio em vez de emiti-lo em diversas direções. O foco, por sua vez, será determinado pela demanda de dispositivos que requisitarem conexão com a rede, otimizando, assim, a capacidade de cada antena.

 

Mas se engana quem pensa que o 5G vai acabar com a fibra óptica: na verdade, essa demanda prevê levar fibra óptica a cidades atualmente sem esse tipo de infraestrutura.



Alinhar expectativas: 5G no Brasil ainda não está 100%

 

A tecnologia 5G no Brasil já dá seus passos para uma grande revolução. Ainda assim, é preciso agir com calma: as previsões para um sinal pleno e abrangente em grande parte do território nacional variam de 2025 até 2029. Logo, ainda temos um longo caminho a trilhar para a chegada desta tecnologia.

 

Mas é inegável que o 5G vem para transformar vidas, abrir novas oportunidades de mercado e é preciso estar preparado(a) para utilizá-lo ao seu favor.

 

Quer saber mais sobre tecnologia, inovação e segurança de dados? Confira os demais posts em nosso blog

 

 

 Você ainda não é um associado(a)? Faça parte da maior comunidade de empresas e profissionais de Tecnologia e Inovação de Minas Gerais e tenha benefícios exclusivos! Saiba mais, clicando aqui!

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.