8 tecnologias emergentes essenciais para o futuro dos negócios

8 tecnologias emergentes essenciais para o futuro dos negócios

A cada dia, uma nova tecnologia é apresentada para o público, seja um celular, um console eletrônico ou pensando de maneira mais disruptiva, lâmpadas digitais, refrigeradores conectados à internet e, até mesmo, um assistente pessoal que integra todas as tecnologias existentes em uma residência. Essas tecnologias emergentes também chegaram aos negócios de diversas maneiras, como mudando o sistema de negociação ou de pagamentos, a forma de apresentar um novo produto para um cliente, o atendimento para dúvidas ,a construção de materiais.

Com a evolução do mundo digital, é essencial que as empresas e indústrias estejam atualizadas com as novas tendências. Para ajudar neste novo caminho, trouxemos a história e a aplicação de 8 delas, que já impactam o mundo de alguma maneira.

Quais são as tecnologias emergentes?

1- Blockchain

Totalmente relacionado ao bitcoin, Satoshi Nakamoto (pseudônimo da pessoa ou grupo considerado como possível criador da criptomoeda), publicou o conceito de blockchain sem seu artigo acadêmico Bitcoin: um sistema financeiro eletrônico peer-to-peer, desde então, a aplicação de blockchain ganha novos rumos, indo além do seu objetivo inicial , que era rastrear o envio e o recebimento de informações pela internet.

De maneira segura, cada “bloco” possui seus próprios dados e complexos código de letras e números. Essa segurança tem foco em tornar praticamente impossível a descoberta dos autores de uma transação, exceto o fato de que ela aconteceu (a mesma fica registrada no ledger).

Além das criptomoedas, a aplicação de blockchain também pode ocorrer na validação de documentos, transações financeiras, compras de arquivos de música, filmes e séries ou, até mesmo, em votações. Ou seja, tem um grande potencial e pode inaugurar uma era de comércio digital autônomo.

2- Drones

O Veículo Aéreo Não Tripulado (VANT), conhecido popularmente como drone, foi concebido, inicialmente, para as grandes guerras e teve como inspiração dois objetos totalmente distintos: o inofensivo aeromodelismo e as bombas alemãs voadoras V-1.

No Brasil, o primeiro VANT registrado foi fabricado pela Companhia Brasileira de Tratores (CBT). Esse protótipo, que era movido a jato, foi desenvolvido para servir de alvo aéreo e teve o seu primeiro voo realizado em 1983.

Quase 40 anos depois, os drones ainda continuam com seu objetivo bélico. Mas, ganharam outras utilidades para o dia a dia da sociedade. Hoje, é possível encontrar esses equipamentos desenvolvidos para diversas ocasiões, como vigilância, pesquisa, desempenho esportivo, fotografias/filmagens e entregas.

3- Impressão 3D

Tornando-se popularmente conhecida nos últimos anos, as impressoras 3D surgiram nos anos 80 e funcionavam totalmente a vapor. Seu inventor foi Charles Hull, engenheiro físico norte-americano. Com uma técnica batizada como estereolitografia, a SAL-250 imprimia objetos por meio de dados digitais.

Já nos últimos anos, esse tipo de impressão tem ganhado terreno em diversos setores, como o automotivo, cuidados com saúde e de produtos industriais. Afinal, ao utilizar plástico, metal, vidro, madeira ou outro item como “tinta”, ela consegue finalizar um item com perfeição, seguindo o que foi planejado. acho válido ter um pouquinho mais de explicação sobre, pensando em relação aos outros tópicos.

4- Inteligência artificial

Mesmo parecendo algo recente e extremamente tecnológico, a inteligência artificial já está presente há mais de 80 anos, quando Warren McCulloch e Walter Pitts escreveram sobre estruturas de raciocínio artificiais em forma de modelo matemático e que, claro, imitassem o sistema nervoso. Já o primeiro chatbot, algo que já é implantado em diversas companhias atualmente, foi desenvolvido em 1964 e se chamava “Elisa”. Essa inteligência artificial era baseada em palavras-chaves e estruturas sintáticas. 

Atualmente, o aprendizado das máquinas está focado em desenvolver programas de computadores que possam aprender, compreender, raciocinar, planejar e agir com diversos dados. Esse aprendizado traz, além da utilização como chatbot, um enorme potencial para outros produtos, serviços e setores, como detecção de doenças em hospitais por meio de uma biblioteca de imagens.

5- Internet das coisas

Essa ideia começou a ser discutida em 1991, quando a internet e a conexão por meio de TCP/IP começaram a se popularizar globalmente. Já a definição surgiu em 1999, quando Kevi Ashton, do Massachusetts Institute of Technology (MIT), utilizou o termo “internet das coisas” ou IoT.

Nos dias de hoje, quando falamos da vida pessoal, diversos objetos já estão conectados por meio de gadgets ou infraestruturas complexas, como geladeiras, óculos e carros. Já as indústrias também fazem parte disso. Segundo pesquisa da PWC, 73% das empresas estão fazendo investimentos em IoT e 47% afirmam que ela será a tecnologia mais importante para cortar custos.

 6- Realidade aumentada

Hoje, presente em diversos dispositivos, a realidade aumentada teve seu primeiro conceito em 1962, quando Morton Heiling desenvolveu uma máquina que envolvia tecnologia multissensorial imersiva, e que foi batizada como Sensorama. Ela tinha a capacidade de exibir imagens em 3D, som estéreo e sensações hápticas, por meio da inclinação do corpo e sensações de vento e aromas.

Hoje, a Realidade Aumentada (RA) é utilizada pela indústria para auxiliar empregados de depósitos, fabricantes de aviões na montagem das aeronaves e eletricistas durante reparos. Com a possibilidade de inovar e compartilhar uma mensagem de outra maneira, 24% das empresas, segundo a PWC, já estudam esse investimento. E, quando falamos de tecnologia disruptiva, 5% acreditam que ela é a maior delas na indústria.

7- Realidade virtual

Já o conceito de Realidade Virtual (RV) tem Jaron Lanier como autor, que assinalou essa definição para diferenciar as simulações feitas por computadores daquelas que envolvem múltiplos usuários em ambiente compartilhado. A RV possibilita que as pessoas interajam, de maneira realista, por meio de simulações.

Diversas indústrias, como a de jogos e entretenimentos, já utilizam esta tecnologia com amplo sucesso. Ela ainda tem mais pontos para crescer, afinal, ela pode auxiliar no campo de treinamento vivencial, sem a necessidade de se colocar em risco ou empregar altos custos. 

8- Robótica

Os robôs estão no imaginário de todos e presentes na sociedade há anos. Até mesmo a indústria cinematográfica já utilizou deles, como os famosos R2D2 e C-3PO, que ficaram famosos na franquia Star Wars. Afinal, o primeiro humanoide, chamado de Elektro, foi criado em 1938 e conseguia andar, falar, contar com os dedos e, até mesmo, explodir balões. Já na indústria, o primeiro robô foi o Unimate, inventado por George Devol nos anos 50 e finalizado em 1961.

Com capacidade avançada de detecção, controle e inteligência, esse tipo de equipamento já é utilizado em diversas indústrias, como a automotiva. E com o avanço tecnológico, o mercado de robôs pode alcançar uma grande variação de aplicações de serviços, transformando diversas operações com novos recursos. 

Como a Sucesu pode te ajudar 

Lidar com tecnologias emergentes requer muito estudo e, principalmente, certeza de que o resultado será positivo para a companhia. Afinal, essas novas possibilidades podem ser um grande marco, além de  trazer ainda mais benefícios para o colaborador e consumidor.

Por isso, a SUCESU MINAS, que é a mais relevante e atuante sociedade de tecnologia de Minas Gerais, está preparada para auxiliar você a responder, totalmente voltada ao seu setor, a pergunta inicial: quais são as tecnologias emergentes?

Conte com a Sucesu, que já está há 50 anos fomentando o mercado mineiro com as melhores práticas globais do setor, incluindo as iniciativas públicas e privadas, com muita dedicação e paixão pela tecnologia. Conheça nosso trabalho e fale com um dos nossos especialistas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *