Na cabeceira

Confira as três dicas de leitura na seção “Na Cabeceira” da edição 9, da Revista Inforuso.


Superintelligence

Você não é tão especial quanto pensa. Basta olhar para os sinais da ciência e os milhões de planetas que dividem o universo com a Terra. Nem mesmo a inteligência é capaz de nos tornar diferentes de outros seres. O filósofo e professor da Universidade de Oxford, Nick Bostrom, deixa essa ideia mais evidente ao longo do livro Superintelligence: Paths, Dangers, Strategics, ainda sem edição em português. O autor afirma que é questão de tempo até que os humanos criem máquinas com uma capacidade intelectual superior à de gênios, como Isaac Newton e Sigmund Freud. Na obra, essa defesa é feita a partir da análise de três aspectos da chamada superinteligência: os caminhos para atingi-la, que vão desde a combinação entre cérebro e máquina até a seleção genética dos indivíduos; os perigos da dominação das pessoas pelos robôs; e as estratégias de programação para evitar a extinção da raça humana.

Superintelligence: Paths, Dangers, Strategics, de Nick Bostrom – Editora Oxford University Press

 

Leading Digital

A transformação digital que está em curso exigirá novas lideranças. Por isso, nenhum CIO tem a garantia de que continuará ocupando a mesma cadeira no futuro. Nesse jogo, as regras ainda estão sendo definidas e cabe aos CIOs decidirem se omitir até desaparecer ou aproveitar a oportunidade para ser um líder digital. É uma questão de escolha. O livro Leading Digital – Turning Technology into Business Transformation, de George Westerman, Didier Bonnet e Andrew McAfee, é uma boa pedida para o executivo de TI que quer sair da inércia. A obra faz um estudo de empresas “másterdigitais”, como Burberry, Caesars Entertainment e Nike, e mostra o que as distingue das demais companhias do mundo. Também é possível conferir um passo a passo detalhado para os líderes realizarem, com sucesso, esse processo de transformação.

Leading Digital – Turning Technology into Business Transformation, de George Westerman, Didier Bonnet e Andrew McAfee – Editora Harvard Business Review Press

Ciência, Tecnologia e Inovação Africana e Afrodescendente

Depois desse mergulho histórico sobre a participação negra na evolução da ciência, tecnologia e inovação, fica claro que o protagonismo da raça vai muito além do que se imagina. Uma das principais discussões da obra recai sobre as invenções africanas e afrodescendentes dos tempos antigos e modernos, que, com o passar do tempo, foram marginalizadas pelo eurocentrismo. Também são apresentados cientistas de destaque, como o dr. Daniel Hale Williams, que fez a primeira cirurgia de coração aberto em 1893, em Chicago, e o químico norte-americano George Washington Carver, que extraiu do amendoim mais de uma centena de produtos, como tinta e borracha. O livro ainda apresenta uma nova dimensão da população negra, que contribui efetivamente para a ciência e a tecnologia moderna. Disponível gratuitamente na versão e-book, é uma leitura que desperta curiosidade e constrói novas perspectivas.

Ciência, Tecnologia e Inovação Africana e Afrodescendente, de Carlos Eduardo Dias Machado

Edição 9: http://revista.sucesuminas.org.br/revista/revista-inforuso-no-9/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.