Vantagem Competitiva e inteligência artificial: O que uma tem a ver com a outra?

Entenda a relação entre inteligência artificial e vantagem competitiva

 

Ao falar sobre inteligência artificial, muitos associam esse tópico como algo caro, expansivo, distante e fora da realidade para a maioria das organizações. Um grande erro.

 

Apesar do conceito tecnológico e de ser algo que abre diversas portas, a inteligência artificial funciona como um impulsionador para os lucros da empresa, trazendo autoridade e vantagem competitiva. Mas você sabe o que é vantagem competitiva? Acompanhe nossa leitura para entender melhor sobre esse universo.

 

Qual o conceito de vantagem competitiva?

 

Toda empresa precisa se destacar de alguma forma para conquistar o seu espaço no mercado.

 

O conceito de vantagem competitiva representa a habilidade organizacional de um grupo em fornecer produtos ou serviços de melhor qualidade, mais baratos e com melhor custo-benefício em relação aos seus concorrentes.

 

Um dos principais teóricos sobre esse tópico é Michael Porter, professor da Escola de Negócios de Harvard que, em 1985, publicou o livro Vantagem Competitiva. 

 

A partir desse trabalho, são definidas três formas gerais de atingir essa vantagem:



  • Preço do produto ou serviço.
  • Diferenciação para o consumidor.
  • Foco de atuação da empresa.

 

Em resumo, vantagem competitiva é um conglomerado de fatores responsáveis pelo impacto direto nas entregas da empresa, transformando a organização em autoridade e gerando valor para o seu público final

 

Quais são os principais benefícios da vantagem competitiva?

 

Pensando no futuro da empresa, um dos principais diferenciais da vantagem competitiva é o destaque para posicionamento e atuação da empresa em seu setor, gerando um número maior de vendas do que os seus concorrentes.

 

E isso não se conquista exclusivamente pensando no seu produto, mas também nos processos operacionais. E um deles é o investimento em tecnologia avançada e inteligência artificial.

 

Qual é a relação entre vantagem competitiva e Inteligência artificial?

 

Apesar de ser um tópico extremamente cotidiano do mercado tecnológico, a inteligência artificial (IA) é responsável pelo avanço dos mais diversos setores e pode trazer diferenciais competitivos meteóricos para todos.

 

Isso acontece já que esse tipo de tecnologia está totalmente alinhado à transformação digital e se posiciona como uma aliada na otimização de tempo e resolução de problemas.

 

Vantagem competitiva – exemplos

 

É possível alinhar a inteligência artificial como uma vantagem competitiva nos mais diferentes polos. Por exemplo, a indústria alimentícia.

 

Em um cenário no qual o gerenciamento estratégico e tecnológico de dados auxilia no controle de matéria-prima e ingredientes, proporcionando adequação para diferentes regulamentações, isso traz ainda mais informações no que se trata de hábitos e preferências do consumidor final e tendências de mercados, contribuindo para o desenvolvimento de novos produtos e gerando informação sobre oferta e demanda por localização.

 

Outro grande diferencial do big data é sua contribuição na modificação e aprimoramento do que constitui um produto, coisas como o sabor, textura e aroma na formulação de alimentos e bebidas.

 

Dados da NotCo, foodtech especializada em alimentação à base de plantas, nos dão alguns exemplos disso. Giuseppe é o nome da plataforma da empresa que, a partir da análise molecular de matérias-primas de origem animal e de plantas, encontra ingredientes com características semelhantes. O “chef de Inteligência Artificial”, como é chamado na empresa, tem na sua base de dados mais de 40 mil espécies de plantas.

 

“Trabalhamos com nossa inteligência artificial, o Giuseppe, no mapeamento das similaridades sensoriais e nutricionais dos ingredientes. Dessa forma, se queremos recriar o sabor do leite, podemos incluir o abacaxi – no formato, combinação e concentração corretas – para trazer notas lácteas aos produtos, sempre pensando no consumidor final”, detalhou Cynthia Pereira, diretora e R&D da NotCo, ao Food Connection.

 

Com mais de dez anos de experiência em multinacionais como Unilever e Danone, a engenheira de alimentos confirmou que a inteligência de dados é um dos setores prioritários das empresas de alimentos. A executiva afirmou que a NotCo se enquadra nessa tendência e vai além, pois a data science é uma das áreas com mais investimento na companhia e ainda contribui para a captação de recursos externos.

 

“Existe uma gama enorme de análises físico-químicas e sensoriais, por exemplo, que podem ajudar a definir as características de produtos finais, como um requeijão, bem como ingredientes específicos, como proteínas vegetais. Integrar esses dados para ajudar na predição e desenvolvimento de novos produtos é o desafio que a NotCo se dispõe a enfrentar”, exemplificou Pereira.

 

Eu devo adotar inteligência artificial como uma vantagem competitiva na minha empresa?

 

A resposta é: sim!

 

Essa é uma tendência de mercado impossível de ser ignorada. Um estudo da Harvard Business Review, de 2021, constatou que as empresas que usam IA para vendas conseguiram aumentar seus leads em mais de 50%.

 

E a grande vantagem da inteligência artificial é justamente essa: ser transformada em uma vantagem competitiva para os mais variados tipos de segmentos. É preciso apenas entender sobre o seu mercado e quais as tecnologias necessárias para crescer nele.

 

Quer saber mais sobre tecnologia, inovação e segurança de dados? Confira os demais posts em nosso blog.

 

Você ainda não é um associado(a) da Sucesu Minas? Faça parte da maior comunidade de empresas e profissionais de tecnologia e inovação de Minas Gerais e tenha benefícios exclusivos! Saiba mais, clicando aqui!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.