Vem aí o Código de Ética para O Setor de TI de Minas Gerais

“Sem gerir a cultura organizacional, sem aperfeiçoar os processos, sem aplicar os valores definidos e sem desenvolver as pessoas, a ética nos negócios será mero discurso, desarticulado da prática cotidiana”.


Roberto Francisco de Souza
Vice Presidente de Administração, Finanças e Sustentabilidade

A Sucesu Minas, por meio de sua VP de Administração, Finanças e Sustentabilidade, realizará no dia 25 de agosto, às 19 horas, em sua sede, o primeiro encontro para a construção do Código de Ética Setorial de TI de Minas Gerais.

Este será o primeiro de alguns encontros que têm como finalidade debater os temas de relevância para integrarem nosso Código.

A partir do trabalho de um Comitê a ser indicado e através de debates, um conjunto de idéias será reunido para que, em 2017, o mesmo Comité de Ética faça a redação final, que será levada a Assembleia para aprovação.

Pretendemos que o código cubra os interesses de diferentes grupos: grandes, médias e pequenas empresas, usuários individuais, fornecedores, escolas e entidades de classe, resultando em documento que oriente as relações entre estas partes.

Nosso primeiro encontro será conduzido pelo Professor e Pesquisador Roberto Patrus Mundim Pena, Doutor em Administração, responsável pelas disciplinas de Ética nos Negócios e Filosofia do mesmo curso na PUC MINAS e Coordenador do GEPEAD – Grupo de Estudos e Pesquisas em Ensino de Administração e Didática, além de Vice-coordenador do NUPEGS, Núcleo de Pesquisa em Ética e Gestão.

Pena escreve e defende que a ética nas organizações deve acontecer de forma articulada, uma integração entre responsabilidade (resultados), convicção (valores) e virtude (modo habitual da organização agir). “Sem gerir a cultura organizacional, sem aperfeiçoar os processos, sem aplicar os valores definidos e sem desenvolver as pessoas, a ética nos negócios será mero discurso, desarticulado da prática cotidiana”, sentencia.

Na sequência deste primeiro evento, o Comitê preparará o documento base, a partir do qual serão realizados encontros com os diversos grupos, em separado, quando serão colhidas suas contribuições e inquietações para o projeto.

Temas como relações de trabalho, relações com fornecedores, relações com a sustentabilidade, relações jurídicas, formas corretas de comprar e de vender serão abordados, dentre outros.

Os encontros serão abertos, com participação espontânea e livre para, finalmente, em 2017, produzirem a consolidação do Código pela comissão que será indicada em assembleia.

Faça aqui sua inscrição: http://migre.me/umzRl

Contamos com sua participação!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.